"Que a vossa fé não se baseie na sabedoria dos homens, mas no poder de Deus." 1Cor 2,5
Objetivo Geral   

A Arquidiocese de Feira de Santana, no compromisso de "SER IGREJA NO NOVO MILÊNIO", em sintonia com a Igreja do Brasil, assume o OBJETIVO GERAL da CNBB, como segue:

Evangelizar, com renovado ardor missionário, testemunhando Jesus Cristo, em comunhão fraterna, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para formar o povo de Deus e participar da construção de uma sociedade justa e solidária, a serviço da vida e da esperança nas diferentes culturas, a caminho do reino definitivo.

Vamos aplicar este OBJETIVO GERAL à nossa realidade tecendo os seguintes comentários.

Evangelizar

 · é anunciar o Reino de Deus, apontando sua realidade na vida do povo, e denunciando tudo o que impede a realidade do Projeto de Deus;
 · é ser presença e anunciar a Boa-Nova de Jesus, que deve ser conhecido e amado por todos;
 · é gerar e formar pequenas comunidades e grupos, identificando e considerando sua realidade sócio-econômica e política, e sua religiosidade popular, para, com linguagem adequada, levar a Palavra de Deus em vista da construção do Reino;
 · é fazer anuncio de Jesus Cristo nas celebrações e reuniões eclesiais com respeito e valorização da pessoa humana, especialmente dos mais sofredores, através de um testemunho vivo;
 · é a missão da Igreja, enquanto presença na realidade de tal forma que sua ação libertadora seja a ação de Jesus Cristo.

Com renovado ardor missionário

 · no entusiasmo e convicção em superar estruturas de acomodação;
 · ir ao encontro de todos com paixão e vigor;
 · na dinâmica do Êxodo para sair de si e de modo criativo ir à missão;
 · na eficácia da oração e da permanente atualizaçao;
 · no vigor da comunicação e da abertura a outras realidades;
 · no compromisso de anunciar o Evangelho onde não foi ainda proclamado;
 · na busca de uma clara e profunda consciência eclesial;
 · na audácia, coragem evangélica e espírito missionário.

Testemunhando Jesus Cristo

 · pela palavra, anúncio, denúncia e vida-sinal;
 · pela ação comprometida e transformadora, assumindo o lugar do empobrecido segundo a dinâmica de Jesus;
 · pela experiência do Ressuscitado na ação solidária;
 · pela coerência fé-vida e sua encanarção na realidade;
 · pelo testemunho corajoso e persistente de Jesus como revelação do Pai;
 · pela proclamação da Verdade que liberta e que salva;
 · pela participação efetiva na Igreja e na sociedade.

Em comunhão fraterna

 · como resposta ao anúncio por um caminhar orgânico e de pastoral de conjunto;
 · com o acolhimento e abertura ao Plano Diocesano de pastoral;
 · como experiência de partilha e solidariedade, superando a competição;
 · como comunidade de vida nas paróquias;
 · como experiência iluminada pela comunhão na Trindade;
 · como vivência de respeito e de ajuda ao outro dentro das diferenças.

À luz da evangélica opção preferencial pelos pobres

 · no compromisso e participação pela libertação dos mais pobres;
 · na ternura e atitudes concretas pelos marginalizados;
 · na aprendizagem dos critérios bíblicos e da pedagogia de Jesus;
 · na participação dos anseios de libertação da América Latina;
 · na conservação permanente para efetivar e construir o Reino.

Para formar o povo de Deus

 · em pequenas comunidades e grupos de base nas paróquias;
 · pela formação técnica, política, espiritual e crítica;
 · pela volorização da família, dando prioridade aos jovens e crianças;
 · pelo despertar da consciência da presença do Reino, aqui e agora;
 · pela organização e participação de todos na construção da comunidade;
 · pela criação de uma nova mentalidade, mais conforme aos critérios do Evangelho;
 · pela descentralização de iniciativas;
 · pela formação de lideranças cristãs.

Participar da construção de uma sociedade justa e solidária

 · construindo a civilização do amor pela participação nas lutas justas do povo;
 · despertando lideranças, participando e icentivando organismos populares;
 · apoiando movimentos sindincais no comprometimento de fé e política;
 · tomando consciência dos mecanismos da realidade, sabendo avaliá-los criticamente;
 · gerando uma sociedade nova pela formação da consciência de cidadania;
 · opondo-se a tudo quanto contraria ao Projeto de Deus;
 · articulando e divulgando os trabalhos da Pastoral Social;
 · sendo justo e solidário na vivência comunitária;
 · empenhando-se na organização do povo para sua libertação integral, à luz da Doutrina Social da Igreja.

A serviço da vida e da esperança nas diferentes culturas

 · pelo serviço e respeito aos diferentes contextos e ambientes;
 · pelo apreço aos valores de todas as culturas;
 · pela defesa das culturas "minirias oprimidas", oferecendo-lhes espaços e oportunidades;
 · pela configuração de uma Igreja ministerial;
 · pelo resgate da esperança na vida do povo;
 · pela abertura e inclusão de expressões culturais na liturgia;
 · pela coragem audaciosa na inculturação.

A caminho do reino definitivo

 · por uma experiência de Deus que sustenta a esperança e as lutas pela justiça e pela solidariedade, oferencendo à história a mística do Reino;
 · pela concretização, aqui e agora, em nossa sociedade, dos valores do Reino, superando incoerências e obstáculos às dinâmicas de libertação e redenção dadas em Cristo Jesus;
 · por uma permanente consciência de que temos aqui morada permanente, mas caminhamos para a plenitude da posse de Deus, quando o veremos "face a face" no convívio eterno.

Brasão da Arquidiocese de Feira de Santana Secretaria da Arquidiocese de Feira de Santana
Avenida Getúlio Vargas, 394 - Centro
44025-010 Feira de Santana - Bahia, Brasil
Telefone: (75) 3623-2875 
Brasão do Arcebispo Dom Itamar Vian

 Copyright © Arquidiocese de Feira de Santana